Black Hammer: Secret Origins

Devo confessar que vi e li Black Hammer em um site de scans. Torci o nariz para o Jeff Lemire e baixei uma temporada completa. Nunca li!

Mais de um ano depois um dos amigos aqui do Arte-Final teceu elogios para a série e encontrei a edição número um em um leilão em uma página que participo. Comprei e li. Achei muito interessante! Decidi seguir e comprar o primeiro encadernado em uma das dezenas de lojas virtuais que há por aí. Chegou ontem e já devorei!

A edição apresenta um grupo bem estranho, ridículo até, e o arco trata de expandi-los para nós. Existem seis personagens que são arquétipos de heróis/personagens de quadrinhos (exatamente como Astro City do Kurt Busiek, mas com uma outra pegada). Há o bravo astronauta interplanetário e seu robô semi-inteligente; há a menina com a palavra mágica dada por um mago; há a feiticeira isolada que narra histórias para o leitor; há o alienígena de Marte e transformo; e há o jovem que foi rejeitado na guerra mas, ainda assim, tornou-se um “supersoldado”. Reduzi-los a isto é idiotice!

Jeff Lemire consegue ir além, criando camadas lentamente, deixando-nos nos apaixonar pelos personagens à medida que, sem pressa, os conhecemos. Cada um deles é mais do quê o resumo de arquétipo de personagem. Cada um deles é mais interessante do que os personagens em que o autor se inspirou para criá-los.

 

 

Qual é a trama? Seis combatentes do crime de Spiral City estão presos por dez anos em uma fazenda em uma cidade do interior. À medida que a história é apresentada descobrimos que eles enfrentaram um “deus louco”, salvaram Spiral City com o sacrifício de um sétimo membro; mas foram transportados para um outro universo. Há dez anos eles tentam retomar para sua dimensão padrão ao mesmo tempo em que tem que conviver como uma família para não levantar suspeitas.

O primeiro volume apresenta os personagens, suas vidas anteriores (sem se aprofundar muito), toca muito levemente na batalha contra o “deus louco” e mostra como é difícil viver em família e respeitar as individualidades. Em nenhum momento é maçante ou chato, ou menos bom! E ainda consegue terminar o volume que reúne as edições #1-6 da série regular com um excelente gancho para o volume seguinte!

O primeiro volume, Origens Secretas, já está em pré-venda e seu lançamento está programado para a segunda quinzena de maio pela Editora Intrínseca. Black Hammer ganhou o Eisner de Melhor Série Nova em 2017 e neste ano de 2018 está concorrendo para Melhor Série, Melhor Roteirista e Melhor Colorista.

 

  

Roteiro: Jeff Lemire

Arte: Dean Ormston e Dave Stewart (cores)

Editor: Daniel Chabon

Capa: Dean Ormston e Dave Stewart (cores)

Publicação original: Black Hammer v.1: Secret Origins (março de 2017)

No Brasil: maio de 2018

Nota dos editores:  5.0


  iTunes   Fale com a gente!

Um comentário sobre “Black Hammer: Secret Origins

Deixe uma resposta