Acabei de Ler #46

GIGANT VOL. 5

De Hiroya Oku. Continuando o gibi mais surreal que já vi na vida. A Papico conseguiu derrotar os últimos satãs que apareceram em Tóquio. Ela tinha sido presa pelo exército japonês, mas como ela conseguiu salvar Tóquio, ela foi perdoada e virou uma heroína nacional. E aproveitando toda a sua popularidade, ela deixou a carreira de atriz pornô pra virar uma celebridade mainstream, por assim dizer. E por mais incrível que pareça, ela continua muito apaixonada pelo Rei-Kun. Aqui virou um mangá shoujo, de relacionamento e como o garoto do ginásio tem que lidar estar namorando em segredo com a pessoa mais famosa do Japão no momento. Enquanto isso, aparecem mais 5 viajantes do tempo com dispositivos parecidos com o que faz a Papico crescer e estão a procura dela. E o site ETE, que havia sido bloqueado no Japão e ressurge nos EUA, cujo presidente Donald Trump não acredita na comprovação científica do site e não o bloqueia, e aparecem novos satãs nos Estados Unidos, e seus heróis não conseguem dar conta. Essa história tá tão maluca e aleatória que pra mim é questão de honra chegar até o final. Os desenhos do Oya são maravilhosos.

NATHAN NEVER VOL. 1

Mais um fumetti pra minha lista de leituras. Nathan Never é um agente da Alfa, uma das muitas agências particulares de segurança que existem nesse mundo futurista. A polícia ainda existe, mas ela não consegue dar conta de tudo, e é muito corrupta. Além de todo esse background de sci-fi, o Nathan é um excelente artista marcial, e esse é o tema da última história desse volume. A edição da Graphite está MUITO bonita. O esmero que eles tiveram aqui é impressionante. Destaque pros desenhos do Cláudio Castellini na segunda história desse volume e também pra história onde o Nathan recebe uma cópia do filme 2001 – Uma Odisseia no Espaço e um colecionador tenta fazer de tudo pra roubar essa que é a única cópia desse filme que restou. Irei continuar acompanhando.

SUPERMAN 80 ANOS – ACTION COMICS ESPECIAL

Essa é a edição de comemoração dos 80 anos do Supeman e também Action Comics #1000 nos EUA. Como foi uma edição especial, saiu aqui num encadernadozinho bem bacana. Capa cartão e papel legal. É um compilado de histórias curtas por várias artistas do presente e do passado. Alguns com muita ligação com o Homem de Aço e outros nem tanto. Mas é uma edição bem divertida. A edição brasileira deixou de fora a história desenhada pelo Neal Adams que saiu na edição original, e vou te dizer que não faz falta nenhuma. Destaque aqui pra história do Geoff Johns com o Richard Donner e pra história do Tom King. Não é algo que não pode faltar numa coleção, mas se você tiver a oportunidade de pegar, pegue. Vale a pena!

IRREDEEMABLE PREMIER EDITION VOL. 2

De Mark Waid, Peter Krause, Diego Barreto, Andrew Dalhouse, Paul Azeceta, Emma Rios e Howard Chaykin. Essa é uma obra-prima do Mark Waid. Pena que nunca saiu de maneira decente aqui no Brasil. Nesse volume, os heróis do Paradigma continuam tentando achar um jeito de parar o Plutoniano. E descobrem um segredo da Bette Noir que poderia ter evitado muitas mortes caudadas pelo Tony. E o exército dos EUA toma uma medida extrema ao convocar um dos arqui-inimigos do Plutoniano pra tentar detê-lo. Mas o Modeus tem outros planos. Essa série te prende do começo ao fim. A escrita do Waid te faz fica envolvido com a trama de uma maneira que outros escritores não conseguem. Estou ansioso pra conseguir os volumes finais dessa obra.  Vale a pena ir atrás.

X-MEN #04

De Jonathan Hickman, Pepe Larraz, R. B. Silva e David Curiel. O final das séries que revolucionaram os quadrinhos dos X-Men. Desde a passagem do Grant Morrison pelo título mutante que não tivemos uma mudança tão drástica no status-quo da franquia. O estabelecimento de uma nação mutante não é um conceito novo, mas a forma que Hickman construiu isso sim. Xavier estabeleceu que Krakoa é pra todos os mutantes, e isso inclui os chamados mutantes malignos. Ver o Xavier, o Magneto e o Apocalipse trabalhando juntos é algo que ninguém poderia imaginar. Todos os conceitos que o Hickman introduz aqui nos faz pensar em infinitas possibilidades de histórias. Só resta saber se ele vai saber aproveitar isso nas séries mensais que ele escreve e também nas outras séries da franquia. A Panini deve continuar a publicação em um formato mix, que não é meu favorito, mas foi a maneira que a fase, chamada de Dawn of X foi compilada nos EUA. A parte ruim é que num primeiro momento essa série deve ser quinzenal, com um preço de capa de R$25,00. Definitivamente gibi virou passatempo de luxo.

NOVO LOBO SOLITÁRIO VOL. 6

De Kazuo Koike e Hideki Mori, baseado na arte de Goseki Kojima. Daigoro e Shigekata Togo continuam no caminho do meifumado, com o governo perseguindo eles. E nessas viagens eles acabam indo parar numa terra árida, onde os jovens da aldeia são levados para construir castelos de areia. O que começou como uma tentativa de contratação pra um assassinato acaba virando uma disputa familiar, que começou de um mal entendido. E nesse volume vemos finalmente Daigoro lutando pra valer com uma espada. Os desenhos do Mori estão belíssimos. As cenas de luta tem muita dinâmica.

CAVALEIRO DA LUA VOL. 7 – A LOUCURA ESTÁ NO SANGUE

De Mad Bemis, Jacen Burrows, Mat Lopes e Guillermo Ortego. Começando uma nova fase no título do “Batman Branco da Marvel”. Max Bemis entrega uma história confusa. Cada personalidade do Marc assume quando ele precisa de uma determinada atitude. Isso é até interessante. Mostra que ele está bem integrado com sua loucura. Mas os vilões são muito ruins. Um cara louco, que tem poderes de fogo e que passa a achar que é o Deus Rá, pai do Konshu na mitologia grega. Ainda tem A Verdade e também o Bushman. Essa parte é muito confusa. Mas os desenhos são bem bonitos e tem uma página dupla em um barco que é linda!


  iTunes   Fale com a gente!

Deixe uma resposta