Acabei de Ler #63

MÉNAGE #02

De Germana Viana, Laudo Ferreira e Marcatti. Segundo número da publicação independente dos criadores. O tema dessa vez é livro. A história do Laudo é a melhor da edição. Uma sociedade teocrática que o único livro permitido é o livro sagrado, uma garota que vai levar o avô pra passar os últimos dias, descobre sua biblioteca e se liberta daquela sociedade. A história do Marcatti tem a escatologia que marca seus trabalhos e a história da Germana Viana continua com os personagens do primeiro número. Uma história bem simpática de aceitação e descoberta. Ansioso pelos próximos números.

MARCATTI APRESENTA GÊNESE

De Marcatti. Essa revista tem como protagonistas o Frauzio, principal personagem do Marcatti, e o próprio Marcatti. Ele explica de maneira bem simples como é o seu processo de criação e como ele imprime seus gibis na sua máquina impressora off-set. Acho que essas é uma das poucas histórias do Frauzio que não tem escatologia. Mas é bem legal pra aprender como um dos principais nomes do quadrinho nacional trabalha.

X-MEN #11

De Jonathan Hickman, Gerry Duggan, Ed Brisson, Matteo Buffagni, Flaviano e Marcos To. Final dos primeiros arcos da Aurora de X. Carrascos, X-Men e X-Force continuam muito boa, com Carrascos na frente. O Sebastian Shaw continua fiel à sua natureza e agora a Kate Pryde está em apuros. X-Men retoma um plot de Dinastia X e o foco dessa edição é a Mística. Legal que finalmente a Marvel admitiu que a Mística e a Sina eram um casal. Não sei se isso já havia sido declarado antes. Em X-Force mostra todo o pragmatismo e também a soberba do Fera liderando essa versão da X-Force. Já Excalibur e Novos Mutantes foram bem qualquer nota. Nada digno de elogios ou críticas. Eu até gostei do final do arco na Terra de Novos Mutantes. Tem potencial. E a única coisa que tenho pra dizer de Anjos Caídos é que bom que finalmente acabou essa bosta.

X-MEN #12

De Jonathan Hickman, Benjamin Percy, Tino Howard, Leinil Francis Yu, Rod Reis e Adam Kubert. O grande destaque dessa edição é a estreia da mensal do Wolverine, do Benjamin Percy com desenhos maravilhosos do Adam Kubert. O estilo dele tá um pouco diferente de quando ele surgiu nas páginas do velho canadense nos anos 90, mas acho que agora está ainda melhor. Achei interessante a escolha do Percy em explorar essa fase paz e amor do Logan, mas ao mesmo tempo mostrando que ele ainda é o melhor no que faz, e o que ele faz não é nada bonito. Novos Mutantes tem uma edição peculiar, com os personagens quebrando a quarta parede na apresentação da história. Acho que aqui é onde o Hickman se diverte. X-Men e Carrascos tem edições divertidas, com Carrascos mantendo o bom nível de desde o começo. Excalibur teve 2 histórias publicadas e continua insosso, mas não tá ruim.

SURPREENDENTES X-MEN VOL. 2 – UM HOMEM CHAMADO X

De Charles Soule, Phil Noto, Paulo Siqueira, Matteo Buffagni, Aco, Ron Garney e Gerardo Sandoval. No último volume de Surpreendes X-Men o professor Xavier voltou à vida, usando o corpo do Fantomex pra isso. Mas esse não é o Xavier que todos conhecem, ele é o X, e ninguém sabe o que esperar dele. Enquanto lidam com isso, tem que enfrentar o Proteus e a volta de outro inimigo que eles achavam ter derrotado. Acho que o principal dessa série pre-HoX/PoX é que cada número é desenhado por um artista diferente, que geralmente mantém a qualidade da revista. Pela história, vale pela volta do Xavier, que sabemos ser bastante importante na fase do Jonathan Hickman.

ONE-PUNCH MAN VOL. 18

De O N E e Yusuke Murata. A associação das criaturas continua ameaçando a humanidade, e Garou, que sempre quis ser uma criatura, acaba brigando com essa associação e vira um párea. O Saitama não está muito preocupado com nada, a não ser com a carteira que perdeu e agora não consegue pagar a conta do restaurante e precisa dar um jeito de se livrar disso. Um volume bem parado, onde somos apresentados a várias criaturas esquisitas e nada mais.


  iTunes   Fale com a gente!

Deixe uma resposta